Acessibilidade e inclusão

Maquete tátil para visita acessível a cegos assistida por mediador. © Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

Além das visitas mediadas inclusivas e do audioguia inclusivo, a 34ª Bienal possui outras iniciativas de inclusão, todas planejadas com o apoio da consultoria especializada em acessibilidade Mais Diferenças. 

Conheça e veja o que pode funcionar para você:

 

Videoguia em Libras 

Além do audioguia inclusivo, que conta com interpretação em Libras, também preparamos um videoguia em Libras que passa por 15 obras da exposição! 

Textos em Braile e em fonte ampliada 

Preparamos um percurso acessível para pessoas cegas e com baixa visão, que pode ser complementado por textos curatoriais e textos sobre as obras impressos em Braile e em versão com fonte ampliada e contraste. Procure os espaços de mediação para ter acesso ao material! 

Maquetes táteis

No espaço de mediação do térreo, você encontra maquetes táteis do Parque Ibirapuera e Pavilhão Ciccillo Matarazzo para você entender as dimensões do edifício.

Acessibilidade física 

Temos elevadores e rampas de acesso, banheiros adaptados e sistema de sonorização de emergência. Além disso, cadeiras de rodas são disponibilizadas para uso durante as visitas – basta pedir a um orientador de público na entrada do pavilhão!

Para garantir, ao maior número de pessoas possível, o acesso à 34ª Bienal de São Paulo, seus conteúdos e suas atividades de mediação e programação pública, uma série de iniciativas de acessibilidade foram tomadas, com o apoio de consultores especializados. Veja abaixo quais os cuidados adotados para que todos se sintam bem-vindos e tenham suporte e autonomia em sua experiência com a mostra.

Sinalização

No espaço expositivo, todos os textos de parede são impressos com fontes ampliadas, para garantir a leitura a pessoas com baixa visão. Além disso, na exposição coletiva da 34ª Bienal recursos de áudio serão disponibilizados ao público, reproduzindo os conteúdos dos textos da mostra.

Programação pública e visitas mediadas acessíveis

A cada edição da mostra, a Fundação Bienal contrata intérpretes de Libras para as ações de difusão cultural (mediante solicitação de ao menos um dos participantes inscritos em cada ação) e de mediação. Além disso, a exposição oferece, por meio de solicitação aos orientadores de público da entrada, audiodescrições das obras para cegos e materiais de apoio impressos em fonte ampliada e em Braile, contendo o texto curatorial e textos sobre as obras e os artistas.

A equipe de mediação é preparada para receber pessoas com deficiências físicas, sensoriais, intelectuais e mobilidade reduzida. Vale lembrar que o acesso à mostra e a todas as atividades de mediação e programas públicos é gratuito.

Na web

A internet é um importante meio para acessibilidade de conteúdos. Por isso, este site conta com recursos de acessibilidade, como tradutor automático de texto para Libras e opções de ajuste de contraste e tamanho da fonte. Ainda nesta plataforma serão disponibilizadas, ao longo de 2020, todas as publicações da 34ª Bienal para download em pdf, possibilitando a leitura pelo computador e, dessa forma, o acesso a seus conteúdos por deficientes visuais. Por fim, ainda para esta edição, será produzido um vídeo em libras com conteúdo da exposição, disponibilizado neste site e nas redes sociais da Fundação Bienal.

Compartilhe
a- a a+