Marinella Senatore

Marinella Senatore, <i>Modica Street Musical</i>, 2016. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporânea
Marinella Senatore, Modica Street Musical, 2016. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporânea
Marinella Senatore, <i>Nui Simu (That’s us)</i>, 2010. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporânea
Marinella Senatore, Nui Simu (That’s us), 2010. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporânea
Marinella Senatore, <i>Because of sadness there is dance</i>, 2017. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporanea
Marinella Senatore, Because of sadness there is dance, 2017. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporanea
Marinella Senatore, <i>I hope something great happens to you #1</i>, 2017. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporanea
Marinella Senatore, I hope something great happens to you #1, 2017. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporanea
Marinella Senatore, <i>Bodies in Alliance / Politics of the Street IV</i>, 2019. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporanea
Marinella Senatore, Bodies in Alliance / Politics of the Street IV, 2019. Cortesia da artista e Laveronica arte contemporanea

Inspirada, desde o início da sua carreira, pela fertilidade dos ambientes da criação artística coletiva, tais como os da música e do cinema, desde 2006 Marinella Senatore (1977, Cava de' Tirreni, Itália) – que é professora e também artista – passou a enfatizar cada vez mais a horizontalidade e a autoria compartilhada das performances, peças de teatro e ações que ela organiza.  Vários dos trabalhos recentes de Senatore, de fato, baseiam-se em um longo processo de troca e colaboração que inclui encontros, oficinas e eventos abertos, por meio dos quais a artista procura ativar o potencial criativo de diversos grupos. Um de seus projetos mais ambiciosos nesse sentido é Rosas, uma ópera lírica filmada em 2012 entre Berlim, Madri e Derby (Reino Unido) e que envolveu a participação de aproximadamente 20 mil pessoas.

The School of Narrative Dance [Escola de dança narrativa], projeto em curso iniciado em 2013, exemplifica a prática aberta e interdisciplinar desenvolvida por Senatore, ao propor um modelo de ensino que promove a linguagem corporal como um modo de criar formas alternativas e espontâneas de narrativa coletiva. Sem privilegiar nenhum método em particular, a escola incentiva a troca de conhecimentos, experiências e técnicas de movimento, dança e teatro, com base nas vivências pessoais dos participantes. A escola é organizada de maneira colaborativa e “horizontal”, de modo que todos os participantes podem contribuir significativamente para o seu desenvolvimento. Esse modus operandi incentiva a emancipação de todos os envolvidos e os torna conscientes não apenas da relevância de suas contribuições individuais para a comunidade, mas também importância da esfera coletiva para a realização de cada indivíduo.



Apoio: Italian Council, Directorate-General for Contemporary Creativity, Italian Ministry of Culture



  1. Caroline A. Jones, Eyesight Alone: Clement Greenberg’s Modernism and the Bureaucratization of the Senses (Chicago: University of Chicago Press, 2005).
  2. Greenberg’s Modernism and the Bureaucratization of the Senses (Chicago: University of Chicago Press, 2005).
Compartilhe
a- a a+